Licorice Pizza: Apenas uma história de amor incomum | Confira a Crítica

Paixão, rejeição, intensidade, platonismo e bastante paciência. Há quem experimentou o amor na adolescência e não sofreu nem um pouquinho. Mas pra quem viveu todos esses sentimentos (em alguns momentos, todos juntos na mesma hora), sabe que é um período com gostinho de bala azedinha que a gente compra na saída da escola. Mais tarde, a gente experimenta um amor confuso, perdido, nublado, mas com a mesma doçura de sempre. Tá tudo ali, no inconsciente. A gente só se nega a voltar nesse tempo. A verdade é que a gente precisa amar com mil sentimentos envolvidos. E é sobre isso que Licorice Pizza quer falar. 

Licorice Pizza acompanha o jovem Gary (Cooper Hoffman), um garoto de 15 anos que se apaixona por Alana (Alana Haim), que é dez anos mais velha. Apesar de parecer um amor à primeira vista clássico, eles acabam desenvolvendo uma relação muito baseada na amizade, influenciada pelo que acontece por dinâmicas familiares, perspectivas profissionais e o contexto histórico no qual estão inseridos.

Diálogos divertidos, inteligentes e fluidos 

Um roteiro absurdamente convidativo. Licorice Pizza é um convite para imergir em conversas que proporcionam um entretenimento empolgante e nada monótono. Enquanto Gary encanta com seu charme inconfundível e uma lábia invejável para um garoto de 15 anos, Alana move-se brilhantemente pelo roteiro, proporcionando momentos icônicos embalados por inteligência, perspicácia e uma língua afiadíssima. 

 

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

O longa dá uma sensação única – parece que tudo é espontâneo e natural. Sabe quando vamos a um date e pensamos muito para falar qualquer coisa com medo de falar besteira? Não existe isso em Licorice Pizza. Com um ritmo mais acelerado – nem pense em piscar! o raciocínio é rápido –, os diálogos deixam um clima nada forçado no ar. Com uma veia humorística forte, ironias e bastante sarcasmo, temos uma obra que encanta demais e é 0% clichê ou palestrinha. 

Momentos que dispensam diálogos 

 

 

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

É pra sentir com o coração. Licorice Pizza conta com momentos em que não há uma palavra sequer. Numa sala de cinema, o que fica é um momento em que criamos uma conexão inenarrável com a trama – tudo fica suspenso no ar e ficamos até mesmo sem reação. Foi uma experiência deveras impactante, com cenas de grande intensidade de Gary e Alana passeando pelo silêncio e deixando que o público interprete o momento. A omissão de falar em certos momentos gerou uma quebra grande de expectativas, pelo simples fato de que sempre esperamos que os diálogos de um romance sigam o mesmo caminho. Licorice segue um ritmo único e, talvez por isso, seja uma obra tão magnífica. 

Humor gostoso demais x uma comédia absurda, talvez?

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

O humor é o ponto alto de Licorice Pizza. Com personagens cativantes, o longa diverte sem prometer desde os primeiros minutos, deixando um gostinho de bom humor e boas risadas. Já em outros momentos, é impossível não gargalhar com momentos absurdos, visto que a história se passa em meados dos anos 1970. Vai um cigarrinho de chocolate aí? É nessa vibe que Licorice navega com seu humor muito bem trabalhado, trazendo à tona principalmente o charlatanismo barato do clássico velho americano branco e bem sucedido, que faz de tudo por dinheiro, fama e sucesso. 

Tudo inesperado – é o louvável plot twist que a gente gosta

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

Caminhar com os olhos pelas cenas de Licorice é algo surreal. Naquela hora, eu só estava existindo total e exclusivamente por Alana e Gary vivendo como se não houvesse amanhã. O filme acontece num ritmo maravilhoso – uma orquestra de bom gosto que junta o inesperado com uma fotografia e estética setentista, looks cheios de personalidade e elementos cenográficos que conversam com a época. O desenrolar da trama tem um papel único: te tirar do lugar confortável de uma narrativa previsível. A construção do longa foi pensada minuciosamente, por isso, entrega uma experiência tão envolvente. O Oscar vem aí? Com Amor, Sublime Amor, Duna, King Richard, Ataque dos Cães e outras obras impecáveis, não há como prever. A ansiedade já bateu aqui.  

Alana, o mundo é pequeno demais pra você. 

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

Alana proporciona uma montanha russa de emoções com sua personalidade forte, cheia de ironia, drama, inteligência e perspicácia. Simplesmente, uma das melhores personagens que já presenciei no cinema. Infelizmente, não rendeu indicações como melhor atriz coadjuvante, mas Licorice Pizza certamente será um marco inicial para a Alana Haim, que teve o primeiro papel de sua carreira no longa. Com uma atuação ousada e bastante imprevisível, é extremamente hipnotizante acompanhar Alana em suas expressões. Parece que nasceu uma estrela aqui – que Lady Gaga e Bradley Cooper não ouçam, já que Alana também é musicista e vocalista da banda americana de pop rock, Haim. Mal conheço essa mulher e já admiro demais!

Gary, você é doce demais. 

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

Com o nome do carismático animal de estimação de Bob Esponja, Gary é o homem mais romântico do mundo – seria ele o inventor do romance nos anos 1970? Fica uma questão. Enquanto Alana traz uma avalanche de emoções e dita o ritmo do filme, Gary vem na contramão com sua calma, serenidade, maturidade (para um menino de 15 anos) e claro, seu charme irresistível. Enxergar em Gary é voltar ao tempo do colegial em que dávamos atenção para os meninos apenas gatinhos e ignorávamos os meninos inteligentes e cativantes. Depois de vibrar com o romance de Case Comigo (2022), Licorice Pizza é um convite e tanto para se apaixonar por pessoas genuínas, pessoas de verdade e que falam com o coração. Gary é uma dessas pessoas, sem dúvida alguma. 

Apenas uma história de amor incomum (ou comum) 

Licorice Pizza: Um sanduíche de amor com recheio de adolescência {Crítica}

Se esse filme fosse uma música, apostaria todas as minhas fichas em “Irônico”, da Clarice Falcão. É simplesmente a ironia perfeita para um amor que não parece amor, que não tem cara de amor, não se comporta e nem presume-se que é amor, mas que a gente descobre, no fim, que estava ali o tempo todo escondido nas loucuras que a gente comete na vida. Pra quem já viveu muito tempo na vida sem saber o que quer, ou até mesmo procurando preencher um pedacinho de si com escolhas erradas, esse filme é um prato cheio para se aventurar nos momentos cheios de ironias da vida. 

Licorice Pizza é a Pizza de Alcaçuz que a gente não encontra na pizzaria. A gente inventa em casa quando são os únicos ingredientes disponíveis de uma sexta à noite, que você quer comer besteira e dar risada até altas horas com uma boa companhia. É melhor período da adolescência que, ou acontece no tempo certo (tem todo mundo teve uma adolescência boa), ou acontece mais tarde mesmo – a gente vive mais tarde o que sempre quis viver. E são os momentos mais singelos que carregam essa doçura que a gente não sabe que é amor, mas uma hora a gente descobre. É tudo questão de tempo.

Me siga no Instagram.

Confira abaixo o trailer oficial de Licorice Pizza (2022), que estreou nos cinemas nesta quinta, 17 de fevereiro de 2022. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.