Ícone do site {Des} Construindo o Verbo por Erick Sant Ana

Namasenda e sua muito bem dosada mixtape “Unlimited Ammo”

Com seu primeiro lançamento desde o EP de 2017, Namasenda prova que é possível fazer um trabalho coeso de PC Music que flerta com R&B e o Eletropop, de uma forma muito mais acessível e de fácil digestão para qualquer fã de pop não encontrar defeitos. 

Apesar de não ser nenhuma novidade a existência de Namasenda para os fãs de PC Music (tanto gênero quanto a gravadora em si), ou hyperpop como uma grande parcela também gosta de chamar, a artista tem estado nos holofotes agora principalmente por ter liberado o seu novo projeto, a mixtape “Unlimited Ammo”. Apesar de já ter lançado um EP no passado, o ótimo hot_babe_93, desta vez além de termos um maior número de faixas, podemos analisar um trabalho ainda mais homogêneo sob uma estética muito similar às dos álbuns como conhecemos. 

“Look at me winnin’ now, look at me winnin’ now…”

Namasenda inicia o trabalho com “Black Ops 2” a faixa com mais cara de intro de toda a mixtape, mas isso definitivamente não é algo negativo, especialmente por me fazer dançar ao som desta repetição deliciosa que é o refrão. As influências do hyperpop estão por toda a faixa de pouco mais de 2 minutos, mais um produto da atual indústria musical com canções cada vez menores e mais rápidas. 

Apesar de inegavelmente a mixtape ser do selo PC Music e, portanto, produzida pelo gênio da bateção de panela A. G. Cook, Namasenda não define seu trabalho como puro e simplesmente o verdadeiro suco do hyperpop, mas sim um trabalho R&B. A princípio pode soar estranho, mas prestando atenção em toda a construção das faixas fica visível os elementos especialmente em “On My Mind”.  

A grande bagunça organizada que é a mixtape, ganha todo um verdadeiro e consistente sentido. Talvez seja exatamente o que todo o movimento PC Music/Hyperpop precisa para se tornar ainda mais mainstream, conquistar mais e mais adoradores dos barulhos organizados. “Demonic” sua canção com La Zowi foi o que de fato me fez prestar atenção em Namasenda antes mesmo de lançar sua mixtape, feito que, sendo bem honesto, nem mesmo Dare AM/Dare PM realizou.

 A faixa traz um verdadeiro pop sombrio com batidas que causam uma estranha sensação que dá vontade de correr para longe e dançar ao mesmo tempo. Um enorme contraste com “Banana Clip” sua sucessora na tracklist, também mais uma colaboração muito bem dosada, desta vez com Mowalola. Nesta é visível a influência do bubblegum pop, algo mais fofo e gostosinho. 

Não é uma tarefa fácil escolher os pontos altos de Unlimited Ammo, mas seguindo uma lógica somente minha, ficaria por conta de “Steel”, sua parceria com Hannah Diamond, “On My Mind”, “Finish Him” com Joey LaBeija, “No Regrets” e até mesmo a faixa título “Unlimited Ammo”. Os vocais potentes da cantora são muito bem dosados com o autotune tão conhecido dos trabalhos de A. G. Cook, desta vez ele parece dar ainda mais lugar à verdadeira capacidade dela. 

Eu definitivamente estou te vendo ganhando agora, Namasenda.

Me siga no Instagram

 

 

Sair da versão mobile