Com Amor, Simon

“Com Amor, Simon” foi o primeiro livro que li em 2018 e a escolha se deu basicamente porque estava a fim de ler algo mais leve e como fazia um tempinho que não lia um bom Young Adult, acabei unindo o útil ao agradável. Não sabia basicamente nada sobre a história, só que iria ter adaptação cinematográfica mesmo (que inclusive estreia no próximo dia 05) e felizmente o livro de Becky Albertalli foi uma grata surpresa para mim.

O livro, que é narrado em primeira pessoa, conta a história de Simon Spier, um garoto de 16 anos, igual a qualquer outro, tem um grupo de amigos, é levemente nerd, gosta de sair, tem uma família que o ama, mas o garoto esconde um grande segredo, ele é gay.

Embora ele tenha certeza que tanto seus amigos, quanto sua família o aceitariam sem problemas, Simon ainda não viu a necessidade de “sair do armário” e está esperando o momento certo para fazer isso. Até que certo dia, no Tumblr de fofocas da escola, Simon encontra um garoto que se identifica como Blue e que está passando pela mesma situação que ele.

Os dois começam a trocar e-mails constantemente e uma relação de amizade, confiança e respeito começa a se desenvolver, mas sem nenhum dos dois sabe a real identidade um do outro, exceto que ambos estudam na mesma escola. Tudo estava indo às mil maravilhas, até que Martin, um outro aluno da escola, acaba descobrindo a troca de emails e passa a chantagear Simon.

com amor, simon

“Com Amor, Simon” segue por três plots principais: a chantagem, a sexualidade de Simon e o mistério sobre quem é Blue. E Embora eu não tenha muito contato com histórias LGBT+, nas primeiras páginas de “Simon vs A Agenda Homo Sapiens” já dá para notar que a história foge da curva de ter um grande drama ou fazer com que o personagem sofra com alguma tragédia, muito pelo contrário a história fala muito sobre descobrir quem você é e o amadurecimento, dilemas da vida que todo adolescente passa, a diferença aqui é que Simon é gay. Nesse ponto, me lembrou muito o longa nacional “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”.

A escrita de Becky Albertalli é leve e fluída, daquelas que torna a leitura bem rápida e te ajuda a se envolver com a história. E embora a sexualidade de Simon seja um dos pilares da história, o livro ainda aborda outros diversos temas como preconceito racial, as expectativas, dilemas da adolescência, tudo de uma forma simples, sendo que conforme a história vai se passando você acaba percebendo que é muito mais um livro sobre ser jovem e sobre a descobrir quem você é.

Simon é um personagem extremamente bem construído e é bem fácil se identificar com ele, ele tem suas dúvidas, anseios e medos, assim como qualquer outra pessoas. Assim como os seus amigos, com quem ele tem uma relação de amizade muito bonita, cada um com uma personalidade única e com sua importância.

Embora não seja um livro perfeito, já que a autora algumas vezes segue por caminhos meio óbvios, “Com Amor, Simon”, é uma história simples e descontraída, mas extremamente cativante, assim como todo bom YA deve ser.

Lembrando que a adaptação cinematográfica estréia no dia 05 de abril. Confira o trailer:

Facebook Comments

One thought on “Livro: “Com Amor, Simon” – Becky Albertalli”

  1. Poxa só eu que não gostei dessa mudança de nome pela tradução para o filme? Estou muito afim de ler o livro, pois preciso de uma leitura mais leve, mas infelizmente ainda não esta rolando, ouço falarem muito bem desse livro acho que vou gostar <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *