Se você acompanha o blog, viu que eu postei sobre o lançamento de “Voldemort: Origins of the Heir”, que foi um projeto criado por fãs para os fãs, disponibilizado no Youtube gratuitamente. Assisti essa produção sem muitas expectativas porque eu imagino o quanto deve ter sido difícil planejar, organizar e produzir, por isso vou fazer essa crítica de uma maneira sincera e simples, sem muito mimimi rs… de fã para fã.

Em “Voldemort: Origins of The Heir”, nos é apresentado Tom Riddle quando ele ainda estudava em Hogwarts e, junto dele, vemos outros três personagens junto dele, que são os descendentes das outras três casas de Hogwarts. Como todos sabem, Tom Riddle/Voldemort era descendente de Salazar Slytherin, fato que é revelado no livro e filme Harry Potter e a Câmara Secreta. Nesse projeto, temos não só a origem do herdeiro, mas o conhecimento de que existem os outros herdeiros (a descendente de Godric Gryffindor e os descendentes de Helga Hufflepuff e Rowena Ravenclaw) e de como essa amizade foi crucial para o interesse futuro de Tom em obter os objetos dos fundadores e, assim, usá-los como Horcruxes (como a gente pode ver nos filmes e livros de Harry Potter) em sua busca pelo poder.

Já no começo nos é apresentada Grisha McLaggen – a descendente de Godric Gryffindor – em uma base bruxa russa que foi capturada após tentar roubar o diário de Tom Riddle (sim, o diário que aparece no segundo livro e filme de Harry Potter) e essa cena é a porta para todo o enredo, que mistura um pouco com o que já sabemos dos livros e filmes do Harry Potter com a história criada para esse projeto (os descendentes).

Agora, falando um pouco sobre esse filme, achei muito impressionante como eles cuidaram de cada detalhe das cenas. Tudo rico em efeitos especiais, bem caracterizado e eu imagino o quanto deve ter sido duro (considerando que é um projeto feito por fãs) produzir nessa grandiosidade. A única coisa que é um ponto meio negativo, é o fato da produção ser italiana (sim!!) e as vozes dos personagens parecem um tanto quanto “dubladas”. Lógico que isso é apenas um detalhe em meio a tanta coisa positiva que eu enxerguei enquanto assistia.

Em um filme não-oficial de pouco mais de 50 minutos, no geral, Voldemort: Origins of the Heir conseguiu me deixar entretida em conhecer mais sobre a origem dos herdeiros da escola mais famosa de todos os tempos. Uma coisa que eu nunca imaginaria que fosse abordada sendo colocada de maneira tão inteligente. Não estou considerando alguns detalhes que muita gente começou a considerar a partir do que sabemos sobre a história, mas se a gente assistir como fã de um trabalho totalmente independente e feito como homenagem para a história do principal vilão da maior saga da atualidade, tenho certeza que todos vão apreciar ainda mais esse belo trabalho.

 

Caso queira ler outros posts sobre o universo Harry Potter, temos uma playlist bem legal chamada #PotterWeek onde resenhamos todos os livros e também dos filmes de Harry Potter e: A Pedra Filosofal, A Câmara Secreta, O Prisioneiro de Askaban, O Cálice de Fogo, A Ordem da Fênix, O Enigma do Príncipe, As Relíquias da Morte (filme parte 1 e 2).

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *