Favoritos do Mês: Março





Mais um favoritos do mês no ar e, cara, como o ano está voando, gente! Estou chocada que já estamos praticamente na Páscoa. Sustos à parte, todo começo de mês aqui no blog indica que teremos favoritos do mês, que é o post em que nós (Erick e eu) indicamos 4 coisas aleatórios para vocês e que pode ser série, filme, lugar, post, música, maquiagem… enfim, as 4 melhores coisas que consideramos favoritas daquele mês. Se você ainda não viu nenhum dos outros favoritos, vou deixar aqui o link para todos eles (Janeiro/ Fevereiro).



Aquela série que você não dá nada e acaba sendo incrível: Santa Clarita Diet



O mês de março foi um mês meio “parado” porque eu não tive muito tempo para fazer coisas diferentes e quando eu fiz, não consegui registrar direito. Meu primeiro favorito de março foi a série Santa Clarita Diet, não vou contar sobre ela porque eu fiz um post/ análise da série e eu vou deixar o link AQUI. Basicamente, a série é incrível e eu não dava nada por ela, só fui assistir por ter a Drew Barrymore, mas a série é sensacional e todos os personagens são incríveis, além de ter um enredo sensacional. Então, se você gosta de zumbis e quer ver um zumbi na vida real, dá uma lida no meu post e depois corre para assistir a série.



Quando a página é totalmente a sua vida: Sarah’s Scribbles



Faz muito tempo que eu acompanho a page Sarah’s Scribbles, mas nesse mês eu superei o dedinho de printar as fotos tudo. Para quem não conhece, Sarah têm 24 anos e é cartunista e ilustradora, dona da página e produtos (livros, quadrinhos, etc). Na página, temos os rabiscos da Sarah, do seu dia-a-dia e de como ela lida com os sentimentos e emoções, de uma forma divertida, única e descontraída. Eu não vou falar muito, vou deixar o link da página dela e alguns dos meus posts favoritos:





Voltei à minha infância e assisti a adaptação de “A Bela e a Fera



Deixei no cronograma aqui do blog que falaria sobre a adaptação de A Bela e a Fera, porém me atrasei toda com a crítica e acabei deixando apenas em minha memória, como a Rose do Titanic, sim. Assisti, dei uma choradinha porque é o meu filme da Disney predileto, gostei e tudo isso, mas eu apenas vou reclamar de uma coisa: porque fizeram tanto auê quando escancaram o que estava claro de que o LeFou era homossexual? Gente, que desnecessário. E mesmo se ele não fosse sabe, já passou da hora de acabar com essas frescurinhas. Fora isso, apesar de estranhar um pouco os efeitos especiais, gostei muito da adaptação e a Emma Watson parece ter nascido para ser a Bela. Achei fascinante. Se gostarem de musical e da história, assistam logo porque é incrível!!






Aquarela: aprendendo uma pintura imprevisível



Eu gosto de desenhar e pintar desde sempre, mas por muito tempo eu deixei esse “hobbie” pra lá. Acontece que, em tempos difíceis de ansiedade pelas provas do cursinho de inglês e certificado Cambridge chegando, eu acabei encontrando uma “válvula de escape” quando o negócio aperta e essa válvula foi a pintura. Quando as coisas fogem um pouco do meu controle e o desespero começa a aparecer e aquelas famigeradas crises de ansiedade querem piorar a situação, eu respiro fundo e vou desenhar. Só que agora estou querendo aprender a pintar em aquarela, porque gostamos de desafios mesmo quase falecendo, né mores? Então estou aceitando dicas de canais ou perfis de pessoas que usam essa técnica e até o final do ano teremos aqui várias artes (que também quero usar nos posts aqui do blog e das redes sociais, hein, hein, sinto tendência). Alguém aqui usa Aquarela ou coisas do tipo? Eu acompanho muito os trabalhos da artista Lara Dias, prometo contar mais sobre ela e sobre os posts mais fofos e inspiradores que ela faz. Vou deixar uma fotinha de um dos vídeos dela que me fez sentir ainda mais vontade de trabalhar com a aquarela:


Foto: Lara Dias – Vídeo: Speed Painting

Aquele textão sobre o quão maravilhosa é a Netflix

Já fiz um post aqui no blog sobre o quanto eu andava viciado na Netflix e de lá para cá as produções do serviço de streaming além de continuarem praticamente impecáveis, começaram a me chamar atenção sobre o quão preocupada com a representatividade a empresa também estava. Temos Best of Nation que conta a historia de um garotinho durante a guerra civil na África, The OA com um personagem transexual, Orange is The New Black que conta a historia de presidiarias, Sense8 que é um deleite de tanta representatividade ao contar a historia de 8 pessoas de nações, etnias, orientações sexuais diferentes. Enfim eu até pensei em escrever um post sobre isso, mas acabei encontrando no medium um texto que falava praticamente e e esse é meu primeiro favorito do mês.



Surra de nostalgia com Power Ranger

Desde que haveria uma adaptação cinematográfica de Power Rangers o Erick de 08 anos que vive dentro de mim entrou em êxtase, não me importava o quão ruim, tosco e vergonha-alheia ele fosse, eu iria ver de qualquer jeito e com certeza me empolgar. E por mais que eu estivesse extremamente empolgado para assisti-lo eu estava praticamente com zero expectativas de que ele seria um bom filme. Imaginem o quão foi minha surpresa ao quando ele estreou e descobri que sim fizeram um filme bom dos Power Rangers. Não é o melhor filme do mundo ou que irá mudar a vida de alguém, mas é um ótimo blockbuster, com personagens carismáticos, um roteiro bem desenvolvido, bons efeitos especiais e uma dose certeza de nostalgia. Tudo que eu precisava em um filme dos Power Rangers.




Logan – Que filme

Ao contrario de Power Rangers, quando foi anunciado o último filme sobre o Wolverine, nem me interessei em assistir os trailer, isso porque eu já estava bem traumatizado com os últimos filmes dos X-Men e principalmente nos filmes solos do Carcaju (lembram da tristeza que foi X-Men Origins: Wolverine?). Só que ai foram saindo os trailers, informações foram sendo divulgadas e quando dei por mim o hype era real. O filme estreou e MEU DEUS DO CÉU, que filme. QUE FILME. Se você ainda não viu corrija esse erro de caráter e assista o mais rápido possível.


O viciante One More Brick



One More Brick é um daqueles joguinho para celular que quando você começa não tem mais como parar. Ele é basicamente uma versão moderna daquele jogo clássico que vinha nos mini-games de camelô, onde vc tem que atirar uma bolinha para quebrar os blocos antes que eles cheguem até o final da tela. Não tem nada de muito novo, a diferença é que você tem que acertar uma determinada quantidade de vezes em cada bloco para eles serem destruídos e os números de bolinhas também aumentam conforme você vai acertando alguns bônus que aparecem na tela.





Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *