Critica: …E o Vento Levou

Não sei se vocês sabem, mas estamos com um {Des}afio Cinematográfico no ar e, caso você não tenha visto, você pode com toda certeza clicar AQUI e conferir as regrinhas desse desafio. Pois bem, o primeiro tópico do desafio é escolher um filme com mais de 3 horas e assisti-lo. Consegui juntar o útil ao agradável nesse tópico, isso porque eu realmente não consigo ver filmes clássicos que são enormes, mas escolhi “…E o vento levou” ou no título original “Gone with the Wind” porque o destino quis unir o meu trabalho do curso com esse tópico haha, fiz um trabalho sobre o filme e sobre o livro também então vou conseguir aproveitá-lo bem nesse tópico.

“…E o vento levou” é um filme de 1939 com duração de 238 minutos, ou seja, 3 horas e 58 minutos de filme. É um romance dramático que se passa na época da Guerra Civil (1861) e mostra exatamente a perda, o desespero e a fome de uma família que conseguiu perder tudo nessa guerra, e não só na fazenda onde essa família mora, mas na América como um todo, já que a Guerra acontece pois um lado da América (o lado norte) quer abolir a escravidão enquanto a outra (sul) quer permanecer. É bem interessante porque Scarlett (personagem principal) é uma garota muito mimada e de família um tanto quanto nobre que sonha em se casar com um rapaz que já está apaixonado e comprometido e isso a torna rancorosa e como vingança, acaba aceitando se casar com outro que não ama. O filme mostra vários anos na vida da Scarlett, da família dela e da família do rapaz que ela tanto amava, pois ela se tornou grande amiga da esposa dele, mesmo ela a odiando. O filme é grande porque mostra o estopim da guerra civil, mostra a guerra como um todo e a sobrevivência das pessoas do Sul (aquela cena incrível em que Scarlett grita “jamais sentirei fome outra vez” está presente nessa fase) e a parte  da reconstrução né, com a Scarlett casada com Rhett que era o último homem com quem ela queria se relacionar. Embora o livro seja muito diferente do filme, a adaptação não foge muito da proposta, até porque o livro é enorme (sério, fiquei praticamente o ano todo lendo) e seria quase impossível retratar tudo o que está nele, mas recomendo super ambos.

Sinopse (site Adoro Cinema): ” Uma reunião social acontece numa grande plantação na Georgia, Tara, cujo dono é Gerald O’Hara, um imigrante irlandês. Na mansão está Scarlett (Vivien Leigh), sua bela e teimosa filha adolescente. Os gêmeos Tarleton, Brent e Stuart, imploram para serem seus acompanhantes num churrasco, que haverá em Twelve Oaks, uma plantação vizinha. Scarlett flerta com eles enquanto tenta obter informações sobre o homem que ama obsessivamente, Ashley, o primogênito do patriarca de Twelve Oaks, John Wilkes. Ela ouve algo que a desagrada muito: Ashley está comprometido, o que depois é confirmado por seu pai. Scarlett acha a vida em Tara monótona, mas seu pai diz que Tara é uma herança inestimável, pois só a terra é um bem que dura para sempre. Ela apenas só pensa em Ashley, assim usa seu mais belo vestido para ir ao churrasco, revelando um inapropriado comportamento para um compromisso diurno, apesar das objeções de Mammy, sua protetora escrava. Em Twelve Oaks Scarlett é o centro das atenções, em razão dos vários pretendentes que pairam sobre ela, mas nenhum deles é Ashley. Mais tarde Scarlett ouve os cavalheiros discutindo acaloradamente sobre a guerra eminente que acontecerá entre o Norte e o Sul, crendo que derrotarão em meses os ianques. Só Rhett Buttler (Clark Gable), um aventureiro que tem o hábito de ser franco, não concorda com estas declarações movidas mais pelo orgulho do que pela lógica. Ele diz que não há nenhuma fábrica de canhões no sul e afirma que os ianques estão melhor equipados e têm fábricas, estaleiros, minas de carvão e podem matar os sulistas de fome, pois têm o domínio dos portos, enquanto os sulistas só têm algodão, escravos e arrogância. Um jovem, Charles Hamilton, sentindo-se insultado, tenta desafiar Rhett para um duelo, mas ele se esquiva, mesmo sabendo que o derrotaria facilmente, e se retira. Ashley tenta ir ao seu encontro para acompanhá-lo, pois Rhett é um convidado, mas é detido por Scarlett, que quer falar com ele. Os dois vão até a biblioteca e ela fala para Ashley que o ama profundamente. Isto só faz ele lhe dizer que está noivo da prima dela, Melanie Hamilton. Ashley diz que ama Melanie, entretanto admite que ama Scarlett fraternalmente. Ela fica ainda mais irritada e esbofeteia Ashley, que deixa a biblioteca. Ela então lança um vaso contra a lareira e descobre que atrás de um sofá havia uma outra pessoa, Rhett. Quando Scarlett lhe diz que não é um cavalheiro, Rhett retruca dizendo que ela não é uma dama. pesar deste confronto, é claro que Rhett ficou atraído pela beleza de Scarlett. Em Twelve Oaks chega um cavaleiro, para dizer que a guerra começou. Os homens exultam e Charles vai dizer a Scarlett que a guerra foi declarada, com todos os homens indo se alistar. Enquanto via Ashley se despedir de Melanie, Scarlett ouve Charles lhe pedir em casamento. Movida pela mágoa, ela aceita e diz que quer casar antes que ele parta. Assim Melanie e Ashley se casam em um dia e no seguinte Scarlett se casa com Charles, apesar de não sentir nenhuma atração ou amor por ele. O que Scarlett desconhecia é que o futuro lhe reservava dias muito mais amargos, pois durante a Guerra Civil Americana várias fortunas e famílias seriam destruídas.”





O filme é considerado “o filme dos filmes” e entende-se muito bem o porquê. Além de brilhantes atores como Vivien Lengh e Clarke Gable (que são um dos melhores atores da época de ouro de Hollywood), eles ainda tiveram uma produção incrível considerando a época em que o filme foi gravado, com poucos recursos e com uma história tão complexa de certa forma. Embora seja longo, “…E o vento levou” consegue transmitir bem esse romance dramático vivido na época da guerra e não me surpreende dizer que é um filme maravilhoso, principalmente pelas atuações e se você gosta desse tipo de drama, recomendo que leia também o livro de Margaret Mitchell.



Espero que tenham gostado da indicação do primeiro tópico desse {Des}afio, até a próxima <3

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *